sexta-feira, 7 de março de 2014

A esperar...

É no silêncio da noite, quando todos já dormem, que percebo a imensidão da minha solidão. Alguns dirão que a provoquei, que ela me bate a porta porque permiti que viesse, mas a estes, apenas digo que ela já havia chegado antes mesmo de estar só. Não é preciso estar sozinho para sentir solidão, basta apenas que aqueles que estão ao nosso redor não nos perceba ou não queiram entender o que se passa em nosso interior.

Essa solidão me faz sentir saudades. Sinto falta de um tempo que não vai mais voltar, quando ficava feliz apenas em ter alguém ao meu lado, um tempo em que meu telefone tocava e ao atender tinha alguém a me dizer: "preciso dividir algo com você" ou "me ajude nisso por favor". Saudade em que o dia de reunião em casa de amigos, pra jogar conversa fora, era um programão de sexta à noite. Nada disso vai voltar como era, é preciso recriar, reconstruir, só não sei como fazê-lo, o jeito é esperar...esperar... Enquanto espero, meu coração chora, às vezes até grita por estar tão solitário, mas vou aprendendo com essa solidão, aprendendo que sou capaz, que posso ser feliz sem necessariamente ter alguem ao meu lado, que preciso me conhecer mais...e assim vou seguindo.

Confesso que existem dias que parecem intermináveis, e são justamente nesses que minha inspiração toma lugar dessa dor que insiste em ficar... nessas horas eu escrevo...escrevo...escrevo...e a dor parece amenizar.

Mas ainda acredito, que qualquer dia, quando abrir os olhos, eles encontrarão outros que farão com que toda essa dor seja esquecida como se jamais tivesse existido...

Enquanto isso...espero e espero

bjs a tod@s
Por Priscila Messias
Postar um comentário