quarta-feira, 19 de junho de 2013

Um breve desabafo....

Eu e as 99,9% das meninas desse universo crescemos ou cresceremos ouvindo contos de fadas. Aquelas estórias que sempre aparecem a donzela, a bruxa má, o corajoso rapaz e um desfecho feliz. E, por mais duronas que sejamos, sempre temos esperança de encontrar aquele cavalheiro que virá montado em seu cavalo branco e nos salvará de qualquer desventura que venhamos encontrar. Só que na vida real não é bem assim que as coisas acontecem, e muitas de nós, em algum ponto da história real, percebe que o seu final talvez não seja tão feliz assim.

Não sei se esses contos foram baseados na vida de algum ser de carne e osso, mas afirmo que nunca vi nada parecido, a não ser nos filmes ou novelas, que reforçam o que nos é ensinado nos livros infantis, juvenis e, hoje, até nos adultos. Só sei que vejo muitos especialistas tentando explicar essa relação quase que enigmática entre homens e mulheres, e pessoas cada vez mais insatisfeitas por não viver essas estórias e conseguir transformá-las histórias de suas vidas.

Alguns podem dizer que essas palavras resultam de alguma desilusão, e eu não discordo, mas elas também vêm da constatação de que, na verdade, não devemos esperar nada em troca: se formos fiéis que sejamos sem esperar fidelidade; se abrirmos mão dos sonhos que saibamos que os sonhos alheios não serão esquecidos; e se amarmos sem pensar em nós mesmos que estejamos conscientes que esse amor pode não ser recíproco.

Quiçá possa viver, algum dia, algo parecido. Não almejo encontrar um príncipe ou cavalheiro da nobreza, um singelo plebeu disposto a lutar por mim e enfrentar a tudo e a todos apenas pra estar ao meu lado, já me bastaria. Hoje, sinceramente, não acredito mais em contos de fada, porque no meu a bruxa má conseguiu ter êxito. Mas, quem sabe, eu volte para dizer que apesar das histórias não condizerem tão exatamente às estórias, ainda valem a pena ser contatas?

Tomara, não é?

Abços a tod@s
Por Priscila Messias




Postar um comentário