segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Inquietudes...

O seu silêncio é o mais mortal de todos os venenos, e sua indiferença dói mais em meu peito que o golpe da mais afiada espada.

Quando estamos juntos, é como se eu rejuvenescesse e voltasse a ter meus vinte e poucos anos. Quando nos distanciamos e você me deixa só, todas as minhas inseguranças e incertezas explodem em minha mente como as lavas de um vulcão em erupção, e isso me enlouquece.

Ensaio as palavras que me farão sair dessa loucura, desse caminho desconhecido, mas elas somem assim que vejo você surgir em meu horizonte e seu cheiro inundar toda minha lucidez. É como se você nunca tivesse se afastado e todas minhas necessidades são saciadas.

Quero entender o que se passa comigo, há muito não tinha tais sentimentos e assombros. Tenho medo de me machucar, me iludir e novamente chorar, isso faz com que me sinta frágil e vulnerável, e perceber tais inquietações me assusta e me tira o sono.

Me ajude a superar meus medos ou saia de vez dos meus pensamentos, não prolongue meu sofrimento, diga se vivemos os mesmos medos, se nos preenchemos mutuamente. Não se cale na minha ausência, preciso ouvir sua voz e preencher esse vazio que cresce em meu peito pela falta que você me faz.

Por Priscila Messias
Postar um comentário