terça-feira, 9 de julho de 2013

O luto

Procurei várias definições a respeito da palavra LUTO, e grande parte delas se refere aos sentimentos gerados por conta da morte de um ente querido. Só que, segundo a psicologia, estar enlutado está  relacionado a uma perda qualquer, pode ser de  um relacionamento, de um projeto ou de um objeto, por exemplo. O psicólogo Jorge Elói¹ define a situação da seguinte forma: "o luto é um processo necessário e fundamental para preencher o vazio deixado por qualquer perda significativa não apenas de alguém, mas também de algo muito importante(...)".

Então, partindo desse pressuposto, senti a necessidade de falar a respeito, porque tenho vivido e experimentado emoções e sentimentos nos últimos meses que nunca imaginei viver ou sentir.  É uma mistura de ansiedade, euforia, dor, culpa e piedade. Então, tentando decifrar essa gama de sentimentos, através de reflexões, conversas e pesquisas percebi que estou vivendo o luto da perda de uma parte da história da minha vida. Percebi, ainda, que apesar de me achar tão madura e segura de meus sentimentos, de ser alguém tão racional, não estava preparada pra tamanha confusão de sensações e da perda em si. E como sei que muitos outros também estão vivendo o mesmo que eu, me senti na responsabilidade de compartilhar tudo que venho descobrindo.

Com toda essa confusão sentimental e psicológica entendi que, apesar de não querer, preciso passar por essa fase, preciso chorar, relembrar, sofrer e deixar que tudo se encaixe no tempo certo. Percebi que apesar de me sentir fraca e triste, estou, na verdade, amadurecendo e crescendo como indivíduo. Estou aprendendo que é preciso ter calma para ser lúcido, que é preciso ser lúcido para ser justo, e precisa ser justo para poder enxergar as coisas boas que se foram e as que estão por vir. É um processo, doloroso, mas que precisa ser vivido.

Estou entendendo que as coisas e pessoas se vão, mas não porque não fomos capazes de mantê-las perto de nós, mas porque mudamos, porque temos novas necessidades, novos sonhos e projetos que nem sempre  combinam com o que temos. A vida, muitas vezes, nos afasta do que mais amamos, porque apesar de necessitarmos, não somos preenchidos por elas, e com isso ficamos infelizes, e infelizes somos incapazes de fazer os outros felizes.

A fase final do luto é a aceitação, espero chegar logo nesse momento pra poder enxergar os novos caminhos que já sei que estão a minha frente, mas que por conta das lágrimas ainda estão nebulosos, por isso preciso chorar tudo que for necessário, enxugar os olhos e seguir. Como viver é complexo e doloroso às vezes, mas mesmo com todos esses loops que a vida dá, somos capazes de superar qualquer coisa e seguir. 

Então sigamos....
Bjs a tod@s
Por Priscila Messias
_________________________________________________
¹http://www.psicologiafree.com/curiosidades/luto-5-fases-fundamentais/
Postar um comentário