quarta-feira, 1 de maio de 2013

A arte de ouvir

"Numa definição direta: escutar é o uso puro e simples do sentido da audição e ouvir vai além, sendo uma ação mais profunda, um convite a um processo mais ativo de interação com o outro"¹. (Daniela Leluddak)

Aprendemos na escola que somos agraciados por 5 sentidos: paladar, tato, olfato, visão e audição, e para cada qual existem os órgãos que são seus respectivos responsáveis para o desenvolvimento de cada um deles. Todos os sentidos são muito importantes para a vida do ser humano, e dentre eles está a audição, algumas pessoas, por problemas congênitos ou adquiridos ao longo da vida, não usufruem desse sentido, mas independente se escutam ou não, muitas ainda não entenderam que ouvir é um pouco mais complexo que a simples capacidade de escutar

Como a definição acima descreve, escutar está ligado ao sentido da audição, ou seja, é o fato do ouvido externo receber os sons e ruídos e o complexo sistema auditivo ter a capacidade de levar todas essas informações ao cérebro para que sejam interpretados e apresentarem um sentido para nós. Ouvir, vai além disso, é muito mais que ter seu sistema auditivo funcionando e cumprindo seu papel, é a nossa permissão em deixar que os sons e as palavras percorram por entre nossa corrente sanguínea, pulsem com o ritmo do coração e atinja a nossa alma ao ponto de nos fazer chorar ou sorrir, acreditar ou desacreditar, admirar ou desprezar, amar ou deixar de amar.

Ouvir é algo mais profundo e intenso, até as pessoas surdas podem ouvir, pois não está necessariamente ligado ao uso do sistema auditivo, depende muito mais de uma percepção, de uma certa sensibilidade que qualquer ser humano pode desenvolver independente de suas limitações físicas, cognitivas ou psicológicas. Nós exercemos a arte de ouvir quando aquilo que recebemos do mundo externo é capaz de nos motivar a sermos pessoas melhores ou piores para nós mesmos e para os outros. 

Existem coisas que precisam ser ouvidas, outras não, pois tudo que de fato ouvimos, nos transforma de alguma maneira. Somos nós que decidimos o que vamos ouvir, então ouça aquilo que te torne uma pessoa melhor, as demais, deixe que fiquem esquecidas como os papéis que são guardados nas gavetas que quase nunca mexemos, mas que são jogados ao fogo quando resolvemos fazer uma faxina. 

Ouça apenas o que te faça sorrir ou chorar de emoção, e as críticas e verdades, que mesmo que te façam chorar, permitam que você cresça como indivíduo.

Aprendamos a difícil arte de decifrar o que precisa ser ouvido ou escutado, e quiçá nos tornemos pessoas melhores e mais felizes.

Abços a tod@s
Por Priscila Messias
_________________________________
¹http://www.caddan.com.br/artigos2/21-escutar-e-ouvir.html
Postar um comentário